Os deslimites da palavra

Ando muito completo de vazios.
Meu órgão de morrer me predomina.
Estou sem eternidades.
Não posso mais saber quando amanheço ontem.
Está rengo de mim o amanhecer.
Ouço o tamanho oblíquo de uma folha.
Atrás do ocaso fervem os insetos.
Enfiei o que pude dentro de um grilo o meu
destino.
Essas coisas me mudam para cisco.
A minha independência tem algemas

"Manoel Barros"

 Cigarros.Meu cabelo cheirava a cigarro,somente.

 Entrei em casa em silêncio,perdida,frustrada,fui direito para meu quarto sem olhar para os lados,olhava pro vazio.Procuro no vazio.Procuro um amigo,um beijo,um abraço,mas no final encontro somente “calopsia”.

  “IDIOTA”-pensei,agora me afogarei em Alice in Chains e fingir que esse dia não existiu,como os outros,como os dias bom.

"Sunshine…

… I don’t care no more”